Pages

4 de junho de 2010

O Zodíaco (2005)

Um filme de Alexandre Bulkley com Justin Chambers.

Eu vivo reclamando de filmes que sabem começar com algo magnífico, que faz as pupilas dilatarem, cujo fim é horrível e não passa nada do que o filme deveria. Esse filme conseguiu a proeza de fazer o contrário. O início, o clímax e, bem, todo o filme com a exceção dos últimos 4 minutos foram totalmente descartáveis. Mas o fim foi grandioso. E só uma pergunta surge na minha cabeça, e é COMO?
Em 1969, na cidade de Vallejo, um assassino aparece em pleno Natal e mata duas vítimas. Algum tempo depois, ele se torna um serial killer conhecido como Zodíaco na pequena cidade de Vallejo. Um policial, Matt Parish (Justin Chambers) assume o caso e faz de tudo para poder controlar a série de assassinatos, para que ele possa ver sua vizinhança sossegada de novo, nem que para isso o criminoso se torne uma obsessão. Baseado em fatos reais.
O roteiro é péssimo. Com uma história baseada em fatos reais, era mais fácil criar algo baseado em cima disso, e se fosse criado corretamente, o Zodíaco estaria perto de assassinos renomados no meu conceito, pois gosto da forma como ele se apresenta. Mas segundo o filme o retratou, um assassino que matou 37 pessoas mas com um ar tão falso, ele não chega perto de Charles Manson, que com o assassinato de menos de 10 pessoas virou um símbolo do serial killer. E eu continuo me perguntando: COMO? Além disso, o roteiro poderia ser muito mais aproveitado. Ele deixou várias coisas ainda para serem resolvidas e que poderiam ter deixado o filme ruim de 1h30 num filme bom de 2h40.
A atuação deixa muito a desejar, a fotografia não tem nada que a faça mais especial do que em qualquer outro filme, o modo de filmagem é completamente normal, algumas cenas surgem sem nenhuma explicação e outras desaparecem do mesmo modo e se houve alguma trilha sonora, eu realmente não prestei atenção. A arte dos pôsteres promovem algo completamente diferente. As coisas que podem ser salvas nesse filme são a maquiagem, que é boa em todo o filme de suspense, o fim, que é magnífico, e talvez o figurino, nada de anormal nele.
Se utilizado de forma diferente, O Zodíaco poderia ser uma superprodução, e embora isso possa irritar as orelhas mais alternativas, seria bem melhor do que o filme que eu vi hoje a tarde. Com uma história dessas de serial killer, um filme no mínimo mediano poderia ser feito. Mas n'O Zodíaco tudo age, respira, conversa tão falsamente que eu me esqueci completamente que a história foi verdadeira.
NOTA: 2

2 comentários:

Lívia disse...

uma perguntinha, por qual motivo vc gostou tanto do fim? eu gostei mt do filme, não consegui sai de frent da TV... mas acredito que o final deixou a desejar, ficou um gosto de "quem é? pq?" por isso vim procurar comentarios

gabriel disse...

ah, exatamente por isso, no fim eu consegui ver a veracidade da história, o caso do assassino que não foi preso e tudo mais. de qualquer modo, eu tenho um fraco por filmes que tem um fim "misterioso", rs. (: