Pages

17 de abril de 2010

Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças (2004)

Um filme de Michel Gondry com Jim Carrey, Kate Winslet e Kirsten Dunst.

OK, acho que eu comecei a ver esperanças em tudo depois desse filme. Primeiramente, pela mensagem que ele passa. Na verdade, mensagens, pois eu vi várias. Depois, porque depois de 5 anos seguidos de besteirois como Sim Senhor, Todo Poderoso, Ace Ventura, Máskara, Eu, Eu Mesmo e Irene, As Loucuras de Dick e Jane e muitos outros, eu achava que Jim Carrey nunca fosse fazer um filme bom. Até em personagens que eu imaginava um desprezo total e falta de emoções, como o Grinch e Conde Olaf em Desventuras Em Série, Jim Carrey conseguiu acrescentar comédia. Como eu falei, Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças me trouxe muitas esperanças.
Joel Barish (Jim Carrey) é um homem que termina com sua namorada Clementine Kruczynski (Kate Winslet) após dois anos incansáveis de namoro. Mas o fundo do poço é quando ele descobre que ela fez um tratamento para apagá-lo de todas as suas memórias e poder viver sem aquela decepção. Após entrar em um estado de profundo desgosto, ele decide se submeter ao mesmo tratamento. Mas, enquanto suas memórias são apagadas, ele descobre o quanto ainda a ama e decide escondê-la em momentos que ela não presenciou.
A atuação de Jim Carrey me surpreendeu. Como nos primeiros momentos do filme a atuação dele se mostrou diferente dos filmes onde as piadas saem de sua boca de 5 em 5 minutos, eu praticamente só prestei atenção nele depois disso. Mas posso assegurar que Kate Winslet ficou ótima para uma menina impulsiva, qualquer outro personagem não teria se encaixado ali. Kirsten Dunst se mostrou uma bela atriz no papel de Mary. A história é linda, muitíssimo bem bolada. O apagar a mente é a tentativa frustrada que todos tem após o fim de relacionamentos, principalmente quando as pessoas acham que encontraram o amor e não conseguem sair da fase de ilusão. Mas sempre pode-se apagar a mente, não se pode é o coração. A prova disso é Winslet reagindo a todas as frases que Carrey usou, porém proferidas da boca de Elijah Wood.
A fotografia é belíssima, no começo do filme com Carrey acordando, desde então ele fica ótima. A mudança de cenário é algo que merece ser mostrado nesse filme, pois ficou excelente, eles saindo de uma biblioteca para uma casa na mesma porta, ou se virando e mostrando que não estão em um consultório, e sim em uma rua. A direção ficou excelente, assim como figurino e a maquiagem. Os personagens foram muitíssimos bem trabalhados, principalmente a Kate Winslet que muda o cabelo de cor a cada momento.
Gostaria de acabar assim como Kirsten Dunst e suas citações."Abençoados os que esquecem, pois aproveitam melhor seus equívocos". "Feliz é a inocente vestal! Esquecendo o mundo e sendo por ele esquecida. Brilho eterno de uma mente sem lembranças, toda prece é ouvida, toda graça se alcança". Grande filme.
NOTA: 10

2 comentários:

Rafaela disse...

antigo esse em ! haha

gabriel disse...

todos tinham visto esse, menos eu cry/
rs.